Pesquise no FashionBoudoir

Vivienne Westwood







Vivienne Westwood, nasceu em 8 de abril de 1941, em Glossop, uma cidadezinha perto de Manchester, na Inglaterra. De família de classe média, sua mãe trabalhava em uma fábrica de algodão e o pai pertencia a uma família de fabricantes de calçados. É uma Estilista inglesa responsável pela moda punk e New wave modernas. Aos 17 anos mudou-se para Londres. Lá dava aulas de inglês e casou-se com seu primeiro marido, Derek Westwood, um diretor de uma escola de dança, com quem teve um filho. Estudou por pouco tempo moda na Faculdade de Arte de Harrow, mas não acreditava que uma pessoa como ela pudesse viver no mundo da arte. Influenciada pelo clima rebelde da década de 1960 decidiu divorciar-se, conheceu seu futuro sócio, Malcolm McLaren, casou-se com ele e teve outro filho. A relação profissional entre Vivienne e Malcolm fez com que em 1971, inspirados pelo rock original dos anos 50 fundassem sua primeira loja, Let it Rock. A partir disto a estilista começou a criar roupas visando o público marginalizado das periferias de Londres. Devido a uma série de polêmicas e problemas com a justiça mudaram o nome da loja várias vezes, sendo o último e mais conhecido o nome Sex. Na mesma época seu marido era produtor da banda Sex Pistols, uma das primeiras grandes bandas punks existentes. Como Vivienne vestia aquela, entre outras bandas, ficou conhecida como “estilista-punk”, título que é atribuído a ela até hoje. Com o passar dos anos o movimento foi perdendo força, e com ele a sua moda. Em meados da década de 80 ela se divorcia e muda-se para a Itália, passa a dar aulas na Academia de Artes Aplicadas de Viena, onde conhece seu atual marido Marc Andréas. Em 1981 Vivienne cria então sua primeira coleção, Pirates, apresentando looks com cortes inspirados nos século XVII e XVIII; algo mais romântico com um olhar histórico. No ano seguinte desfila em Paris, que desde Mary Quant não apresentava desfiles de ingleses. Terminado seu casamento com Malcolm McLaren, e com seus horizontes expandidos passa a criar roupas ligadas à história da moda e do mundo, com muito exagero, e cores gritantes. Seu nome aparecia cada vez mais forte na moda. Em 1984, ela apresentou crinolinas mini, enchimentos nos seios e nos quadris, além de enormes sapatos plataforma. Em 1987, começou a criar espartilhos, que se tornaram ícones de sua marca. Em 1990, na coleção "Portrait", surgiram os mais célebres modelos de espartilho que viria a criar, estampados com cenas do quadro "Um Pastor Observa Uma Pastora Adormecida", de François Boucher. Nunca perdeu sua identidade e sempre se mostrou atenta aos acontecimentos do mundo lançando roupas inusitadas, como uma camiseta com a frase "I am not a terrorist, please do not arrest me“- “Não sou terrorista, por favor, não me prenda”, feita em edição limitada protestando contra as duvidosas leis anti-terroristas adotadas pelo governo inglês depois dos ataques em Londres no ano de 2005. Vivienne é o centro da moda inglesa há 34 anos, influência gostos, pessoas e atitudes. Seu sucesso proporcionou uma retrospectiva no Museu Victoria & Albert de Londres; exibição com 150 peças e passagens significativas de sua vida e carreira. Foi apontada no livro Chic Savages como um dos seis melhores estilistas do mundo, e como estilista do ano duas vezes. Aos 64 anos ganhou o titulo de Lady da Rainha Elizabeth II da Inglaterra.
Características da estilista:
Ela é excêntrica, provocadora e irreverente. Cria roupas com motivos políticos, críticas sociais, temas eróticos, com muito preto, vermelho, cores fortes, couro, correntes e rasgos. Mescla a cultura jovem com o tradicionalismo, tudo sempre inusitado. Seus ícones são espartilhos, saltos plataformas, tecidos originalmente britânicos, exageros no corte e na forma, saias com movimento e terninhos. Vivienne procura sempre deixar bem clara sua opinião e seu gosto, desde suas primeiras criações. É atenta aos acontecimentos do mundo, procurando transparecer em suas roupas os seus ideais, de preferência de forma inusitada e diferente. Vivienne na época de colégio customizava suas roupas. Cortava o uniforme para dar mais movimento à saia, e deixá-la mais fashion[carece de fontes?].
Ao longo de sua carreira como estilista, Vivienne Westwood ganhou diversos prêmios, entre eles o de designer do ano da Grã-Bretanha em 1990 e 1991, além de ter sido nomeada membro de honra do Royal College of Art.Em sua coleção apresentada em março de 2009, em Paris, mostrou um mix de peles, xadrez, botas, malhas, muitas amarrações e sobreposições com influências étnicas. Menos ousada? Talvez. No entanto, Vivienne Westwood sempre foi considerada uma estilista polêmica e se manteve como maldita, uma imagem de ovelha negra que gosta de preservar.

4 comentários:

Leila Ranthem

Nossa que niteresante o texto... Sempre ouvi falar muito dela mas nunca fui atras...

Bjo...
Passa no meu tbm...
http://estilo4you.blogspot.com/

Laís Kunhasky Spilere

Ooi linda, já estou seguindo seu blog! Beijos e excelente final de semana!

TELMA GUEDES

Adoro VW por suas ideias revolucionarias; ela pegou a onda punk q influencia a moda ate' hj e fez historia! adorei o post Lais! bjao!

Laís Kunhasky Spilere

Obrigada Telma! Beijos amada!