Pesquise no FashionBoudoir

Uma História de Amor - Parte II

Sim. Ele tinha olhos verdes, já não bastassem o sorriso e a barba (Sou louca por homens de barba! haha). E agora eu via o sorriso de perto, mas não consegui dizer nada. Percebi que ele também não...até que devagar me perguntou no ouvido: 'Qual seu nome?' [Lembrem-se, estávamos numa balada, isso deveria ter sido gritado, mas ele falou baixinho, e consegui entender... *-*] Respondi meu nome e perguntei bem depressa o dele.
Enfim, depois disso conversamos mais algumas coisas bobas, fizemos e respondemos as perguntas básicas : 'Onde você mora/estuda/trabalha?'.... Até que...sim, devagar, senti que ele pegou denovo em minha cintura, e percebi como ele me fazia pequena e frágil perto dele. Antes de me beijar, sorriu denovo, sorriu perto de mim. E foi inesquecível. Consigo fechar os olhos e lembrar até hoje, em detalhes, como foi esse beijo.
Ahhh sim, minha amiga Tamara e o amigo dele, Victor (o BABACA) também se entenderam muito bem.
Ficamos juntos até o fim da noite, rindo, conversando e claro, beijando. Até que chegou a hora de ir embora. Meu pai sempre ia me buscar, e sempre me esperava LÁ, NA SAÍDA. Eu nunca me importei com isso, sempre achei fofo da parte dele, e eu tinha 15 anos [hoje percebo como eu era REALMENTE uma menina. (Ainda sou, eu sei)]. Fiquei pensando em como seria a reação do meu pai, ao meu ver saindo de mãos dadas com ele, porque era assim que estávamos, de mãos dadas. Assim que saí de lá...não vi meu pai. Pensei... "Ufa! Vai ver se atrasou!" Engano meu... Robson (esse é o nome DELE! *-*) me beijou mais uma vez, lá fora, na rua...e lembro que garoava...depois do beijo, que parecia cada vez melhor e mágico, ele me soltou e eu olhei pra frente: meu pai.
Nada aconteceu gente. Óbvio. Meu pai se fez de cego e eu de muda, até em casa. Eu estava tãããão feliz, queria sorrir o tempo todo, mesmo parecendo que não tinha motivo. [Nessa altura, minha mãe sabia que eu tinha visto um cara no outro domingo e tudo mais. Que tudo mais? Mais nada!]
Apaguei a luz do quarto e suspirei. Fechei os olhos e levei um susto: SMS no celular! Robson me desejando boa noite... "Fofooooooooo".
CONTINUA...

3 comentários:

Pisa no Chiclé

To adorando ler sua história!!
É tão fofa!
Beijos!

Alline

Obrigadaaa!
*-*

Beiiijo

Laís Kunhasky Spilere

Allyyyyyyyyy continua isso de uma vez que eu tô amandoooooo! Me conta tuuuudo o que eu não sei. Beijos...